Imagem
“Remote Lisboa” é o mote do novo espectáculo de Stefan Kaegi, com o colectivo Rimini Protokoll, apresentado pelo Teatro Maria Matos, até dia 7 de Junho. Trata-se de um percurso por Lisboa, em que durante duas horas e munidos de auscultadores, os participantes irão conhecer uma nova versão da cidade.
Stefan Kaegi continua a criar e a fazê-lo a partir das especificidades do ambiente urbano. O resultado é uma peça inusitada, com um percurso alternativo sobre Lisboa, que se inicia no Cemitério dos Olivais.
Em conjunto com mais 49 participantes, cada espectador acaba por se tornar actor do elenco de um filme, recebendo instruções e escutando uma nova banda sonora para as ruas, os parques de estacionamento ou as igrejas por onde passa. Impulsionados pela partitura e pelos sons sincronizados, chegam a sítios da cidade que não imaginavam sequer existir.
A voz que os guia vai tornando-se progressivamente mais familiar. Todavia, aos olhos dos transeuntes, este grupo orientado remotamente começa a parecer-se com uma entidade alienígena. Estarão todos a ouvir as mesmas palavras? Poderá isto ser o começo de um movimento? As respostas são dadas em “Remote Lisboa”, uma aventura inimaginável.
O espectáculo passou já por Berlim e, depois de Lisboa, seguem-se as cidades de Zurique, Basileia, Hannover e Avignon. A peça tem a duração de cerca de 2 horas e, sendo o percurso feito maioritariamente a pé, aconselha-se o uso de calçado confortável.

“Remote Lisboa”
Stefan Kaegi/Rimini Protokoll (Berlim)
teatro | coprodução
Até dia 7 de Junho com inicio às 18h30
Preço: 12 euros (público em geral) / 6 euros (com desconto)
Duração: 2h00

Informação importante:
- Lotação limitada.
- Não há ponto de venda no local, compra prévia obrigatória.
- Sessões em inglês disponíveis mediante agendamento prévio, através de reserva na bilheteira do Teatro Maria Matos ou do email bilheteira.teatromariamatos@egeac.pt
- Caução de 10 euros no acto do levantamento dos auscultadores indispensáveis ao espectáculo.

Ponto de partida percurso: Cemitério dos Olivais - Avenida de Pádua (Estrada de S. Cornélio)
Como chegar:
- Autocarros: 708, 781, 750,794 e 782
- Metro: saída de Cabo Ruivo (Linha vermelha)

O fim do percurso será no centro histórico da cidade junto a uma estação de metro e outros transportes públicos.


Escrito por: Sílvia Malheiro
 
 
 Imagem
"I Can't Sing!" é um divertido musical que explora o que se passa atrás dos microfones e de baixo da mesa dos jurados do maior espectáculo do mundo, e revela (não necessariamente de forma precisa) a história de mágoa e risos que mantém milhões colados ao The X Factor semana após semana.

Escrito pelo comediante Harry Hill, com música e letras de Steve Brown, "I Can't Sing!" é co-produzido pelo próprio Simon Cowell.

Irreverente, anárquica, e ainda assim estranhamente tocante, esta comédia musical apresenta uma série de novas e divertidas canções que irá deliciar tanto os fãs do The X Factorcomo como os cépticos.

Encenado por Sean Foley, coreografado por Kate Prince, e com cenografia a cargo de Es Devlin, os mundos do teatro e da televisão de entretenimento juntam-se para criar um musical que estará em cena no teatro de maior renome do West End, o  London Palladium, de 27 de Fevereiro a 25 de Março de 2014.

Fonte: http://icantsingthemusical.com/

Escrito por: Tânia Cardoso
 
 
 Imagem
Atelier de teatro em espanhol  para melhorar a dicção, enriquecer o vocabulário e a expressão oral, bem como  aprofundar os conhecimentos sobre a cultura espanhola a partir do trabalho  dramatúrgico. Por María Cuevas.

O atelier tem a duração de 26 horas e as inscrições já se encontram abertas, pelo preço de 136,50€. Irá realizar-se de 1 de Abril a 26 de Junho no Instituto Cervantes de Lisboa.
 
 
 
 
 

 Escrito por Sofia Gomes
 
 
 Imagem
O premiado compositor e produtor britânico Andrew Lloyd Webber tem dado um contributo inquestionável e inigualável ao teatro musical. Para celebrar os seus 40 anos no West End, a ITV (canal britânico de televisão) organizou um especial de 90 minutos intitulado “Andrew Lloyd Webber: 40 Musical Years”.

Apresentado por Michael Ball, o programa contará com Nicole Scherzinger, Kimberley Walsh, Melanie C, Myleene Klass, Il Divo, Tim Minchin e Samantha Barks, que interpretarão versões de algumas das grandes obras de Andrew, incluindo temas dos musicais Cats, The Phantom of the Opera, Evita, Jesus Christ Superstar e Tell Me On A Sunday.

O especial incluirá também uma performance em primeira mão de um dos temas do próximo musical, Stephen Ward, e para o encerramento Love Changes Everything será cantada por Michael Ball acompanhado por um coro de alunos da londrina Highbury Grove School.

Ao longo do programa, Andrew partilhará histórias e discutirá a evolução e influencias por trás das suas obras-primas. Será ainda feita uma viagem aos bastidores do seu trabalho, onde amigos próximos e colegas darão o seu testemunho.

As gravações decorreram este fim-de-semana. A homenagem ao homem que já conquistou 1 Oscar, 1 Globo de Ouro, 7 Tony Awards, 7 Laurence Olivier Awards, 3 Grammy Awards, 14 Ivor Novello Awards, 2 International Emmy Awards, entre outros prémios, será transmitida no dia 31 de Março pela ITV.

Site Oficial: http://www.andrewlloydwebber.com/

Escrito por: Tânia Cardoso
 
 
 Imagem
O actor Tom Hanks irá estrear-se na Broadway com “Lucky Guy”, juntando-se a um elenco de estrelas como Peter Scolari (Hairspray), Christopher McDonald (Chicago), Courtney B.Vance (vencedor de dois prémios Tony), e Maura Tierney (E.R – Serviço de Urgência).

Nesta peça, passada nos anos 80 em Nova Iorque, Hanks irá desempenhar o papel do colunistavencedor do prémio Pulitzer,  Mike McAlary.

 “Lucky Guy” tem estreia marcada para dia 1 de Abril.

Mais indormações: http://www.luckyguyplay.com
 

 Escrito por Sofia Gomes
 
 
Picture
A UAU irá lançar nos meses de Março e Abril a iniciativa Teatro 5ªs feiras 10€

Como o próprio nome indica, às 5ªs feiras os bilhetes para os espectáculos de teatro a realizar no Teatro Tivoli BBVA (em Março) e no Auditório dos Oceanos (em Abril) custam apenas 10€.

Segundo a produtora: "a UAU assume que TEATRO 5ªs feiras 10€ é um grande esforço financeiro, mas é também um motivo de orgulho por assegurar que pode continuar a produzir emoções no público que a tem acompanhado ao longo dos anos."

Em Março, no Teatro Tivoli pode ser vista a peça TOC TOC, que tem estreia marcada para o dia 13 de Março.

A produtora avisa que para estes espectáculos não existirão lugares marcados, nem se aplicarão outros descontos ou promoções.


Escrito por Catarina Brandão
 
 
 Imagem
A Companhia de Actores (CDA) vai voltar a abrir oficialmente as portas do Teatro Municipal Amélia Rey Colaço (TMARC), em Algés, no próximo dia 28 de Fevereiro, com a antestreia da peça “Loucos Por Amor”, de Sam Shepard, cuja estreia está agendada para as 21H30 do dia 1 de Março, permanecendo em cartaz até ao dia 16 de Março.
Esta obra é levada à cena pelo GERADOR Teatro, um grupo formado por jovens atores profissionais que a CDA acolhe na reabertura do “seu” TMARC, numa clara mensagem de que esta sala, além da casa da Companhia de Actores, é também um espaço cultural de portas abertas para novos ou consagrados valores da cena teatral nacional e internacional, fruto da forte marca luso-brasileira que caracteriza a CDA.


 
Também os mais pequenos vão fazer parte da festa de reabertura, com “O Futuro é Agora”, obra de Hugo Barreiros e produção CDA. Este espetáculo estreará no dia 2 de Março, pelas 16H00. A peça permanecerá em cena até ao dia 28 de
Abril.
Além de peças, a programação anual da CDA para o TMARC apresenta mais projetos, como a oferta formativa: os Clubes de Teatro para todas as idades: Clube de Teatro Júnior, Jovem e Sénior, assim como a oficina Teatro é Alegria.
Por outro lado, a componente de intervenção social da Companhia de Actores mantém-se ativa como sempre, através do Projecto Ampliarte – Cultura e Intervenção Social.

O TMARC, um equipamento da Câmara Municipal de Oeiras, permaneceu fechado durante quatro anos por motivos alheios à CDA, como a necessidade de obras de manutenção e recuperação do espaço, assim como a processos de renovação de licenças e alvarás, sendo só agora possível reiniciar as suas atividades. Apesar do encerramento das instalações não ter impedido a CDA de continuar a trabalhar, a verdade é que, agora sim, esta Companhia está de regresso ao seu espaço!



Sobre a Companhia de Actores
Fundada em 2004, a Companhia de Actores –Grupo de Teatro e Associação Cultural (CDA) é composta por profissionais da criação artística e reconhece os benefícios que a mesma apresenta na formação e desenvolvimento global do ser humano. Do seu percurso constam a criação e a produção de espetáculos e grandes eventos culturais como o MITO – Mostra Internacional de Teatro de Oeiras, a oferta formativa para todos os públicos e a intervenção social através das artes, trabalho reconhecido com os seguintes prémios: Medalha Municipal de Mérito – Grau Prata – Câmara Municipal de Oeiras 2010; Projecto AMPLIARTE – Prémio “Boas Práticas Autárquicas” – Fundação Calouste Gulbenkian 2008; Projecto AudioDescrição – ouço, logo vejo – Prémio de  Mérito “Sorrir na Educação” – Clínica da Educação 2010.



Mais Informações:
Sónia Gomes da Silva  cda.soniagomesdasilva@gmail.com Tm.915316993
Leonor Veiga  cda.leonorveiga@gmail.com


  
Fonte: Companhia dos Actores
 



 Escrito por Sofia Gomes
 
 
 Imagem
Depois do sucesso cinematográfico de Tom Hooper, irá estrear uma nova versão de “Os Miseráveis” na Broadway, em março de 2014. 

A iniciativa do produtor Cameron Mackintosh, terá lugar no teatro Shubert de Nova York, passando antes por várias cidades dos Estados Unidos.
Ao anunciar a novidade, Mackintosh mostrou-se bastante entusiasmado e afirmou: “É maravilhoso que o público moderno acolha estes musicais como se fossem contemporâneos”.

 Escrito por Sofia Gomes
 
 
 Imagem
Todos os meses, o Teatro Nacional D. Maria II organiza conversas informais com actores portugueses com mais de 70 anos. O objectivo é partilhar o percurso profissional de cada um dos convidados, sendo as conversas moderadas por alguém com quem o entrevistado tenha uma ligação.


A entrada é livre, e as conversas começam sempre às 19h00 no Salão Nobre do Teatro.


                                                           19 de Fevereiro - Eunice Muñoz & João Mota

                                                           12 de Março - Carmen Dolores & Armando Caldas

                                                           16 de Abril - Glória de Matos & Duarte Ivo Cruz

                                                           14 de Maio - Lourdes Norberto & Artur Portela

                                                            4 de Junho - Manuela Maria & Carlos Paulo
                                                        



Escrito por Catarina Brandão
 
 
 Imagem
A actriz regressou aos palcos da Broadway, em Nova Iorque, com o espectáculo que estará em cena até final de Março, Gata em Telhado de Zinco Quente, onde interpreta Maggie, o papel imortalizado por Elizabeth Taylor no filme que Richard Brooks realizou em 1958.

As expectativas eram altíssimas uma vez que a mulher que quer reconquistar o marido, um neurótico que a despreza, foi interpretada não so por Elizabeth Taylor mas também brilhantemente no teatro por Kathleen Turner que esteve nomeada para os prémios Tony, os Óscares do teatro.

Tanto o New York Times, como o The Guardian elogiam a atriz, considerando que Scarlett Johansson dá uma nova vida à peça, é um fator chave para a venda de bilhetes e que, com este papel  “confirma-se como uma atriz de palco que impõe a sua presença e inteligência” (NYT).

Contudo, o Hollywood Reporter afirma que a actriz de 28 anos não corresponde às elevadas expetativas, actuando de forma muito leviana e sem grande destaque.

Apesar da critica não ter sido unânime, é de notar que grande parte das sessões já estão esgotadas, e que esta não é a primeira vez que Scarlett Johansson sobe aos palcos da Broadway, tendo ganho um Tony na categoria de melhor representação feminina quando se estreou em 2010 com A Room With a View, de Arthur Miller.


Escrito por: Sofia Gomes